A equipa austríaca poderá mudar de fornecedor de motores. Uma alteração que se notará, apenas, ao nível da marca utilizada nos V8 construídos em França.



A marca “premium” da Nissan está muito perto de se tornar a fornecedora de motores da Red Bull na Fórmula 1. O acordo implica que o fabricante japonês paga oito milhões de euros, o mesmo valor que a formação campeã do Mundo gasta por ano no contrato que tem com a Renault, o fornecedor de motores da estrutura de Milton Keynes.

Na prática, as mudanças são apenas, ao nível da imagem. A Inifiniti pertence ao grupo Renault e, como tal, os motores continuam a ser produzidos na fábrica do construtor francês mas em vez de terem o logótipo da marca gaulesa passam a ostentar o do construtor de luxo nipónico.

Esta operação da Infiniti acontece na óptica da empresa em aumentar a sua notoriedade no mercado europeu.

Assine Já

Edição nº 1460
Já nas bancas

Digital Papel

Top

Os mais recentes